Avançar para o conteúdo

Quinta Sinfonia

Querer, acreditar, estudar e fazer

No fim de 2019, depois de alguns anos já com o negócio da Quinta Sinfonia a funcionar, decidi mandar fazer uma página web. O resultado foi uma página funcional, adaptada aquele momento.

Naquela altura consegui fazer 3 meses de posts e obviamente a ideia era manter uma regularidade. Depois aconteceram 2 coisas que fizeram com que o blog ficasse parado: a primeira é a de sempre, a VIDA a acontecer. E sim, reconheço que esta justificação é tão ampla que no fundo não deixa de encerrar uma desculpa. A segunda causa é esta tendência que tenho (e que estou a tentar trabalhá-la) para o pensamento rígido. “Vou escrever no blog e vou fazê-lo 5 vezes ao mês, em dias específicos e em cada um desses dias, rigorosamente, vou respeitar um tema”. Claro, que quando não pude respeitar esta rigidez, a coisa começou a ir por água abaixo.

De modo que a página foi ficando no seu cantinho e passaram 4 anos. E acreditem, em 4 anos aconteceram muitas coisas por aqui. Algumas visíveis, como ter deixado para trás os mercados, e outras invisíveis. Pequenas, grandes transformações sobretudo pessoais que acabaram por influenciar também a marca Quinta Sinfonia. Porque é certo que nem eu nem o Jordi somos a marca nem a marca nos define, mas este não deixa de ser um projecto pessoal, um estilo de vida. E, portanto, se nós mudamos, é natural que a marca também mude.

Assim foi como em 2022 comecei a pensar em mudar a web. Num mundo digital onde as tendências duram tão pouco, tinha a sensação de que há muito tempo que estava igual. Que já não representava a 100% a marca e também a nós.

No verão de 2022 decidi tentar formar-me para a conseguir fazê-la eu mesma. Por um lado, acreditava que estava ao meu alcance, por outro achava que possivelmente seria algo tão complicado que havia a possibilidade de não conseguir. A tradicional auto-sabotagem junto à pouca disponibilidade física e mental devido à doença que a minha mãe atravessava na altura, fizeram com que a ideia continuasse, mas não passasse à acção.

E então foi quando chegamos a 2023. A minha mãe acabou por partir em Maio e para mim começou uma nova etapa. Depois de dois anos com uma dedicação intermitente à quinta e ao negócio, tinha sede de FAZER. E foi então que comecei a viver de uma forma a que eu chamo “viver com urgência”. Viver com urgência é concretizar sonhos, ideias, projectos em tempo útil. E o tempo útil pode ser muito, mas também pode ser pouco. É como um funil, vai-se estreitando. E é por essa razão que não há tempo a perder.

Foto de Rucksack Magazine em Unsplash

Em Junho comecei a pôr mãos à obra. E assim passei todo o verão. Durante o dia trabalhava na horta, fazia doces, conservas, muros de pallets, limpava a quinta, etc, etc, e à noite sentava-me a trabalhar na página. Demorei 3 meses a acabar. Tive 3 momentos críticos: o princípio onde chegava a demorar 2 horas para fazer um banner, a parte do formulário para a newsletter e quando finalmente acabei e precisava de passar o que tinha feito para o alojamento.

Consegui ultrapassar as 2 primeiras dificuldades. A 3ª já foi outra história. Passei 3 dias a ver tutoriais e neste caso, tive de assumir que quanto mais estudava mais confundida me sentia e que definitivamente não ia conseguir fazê-lo sozinha.

Tentei pedir ajuda, mas comecei a perceber que essa ajuda não iria chegar no tal tempo útil. Foi então que comecei a procurar outras possibilidades. A que ganhou foi voltar a fazer tudo de novo em cima da página existente!!! E tudo era o que me tinha demorado 3 meses!!! Eu não gosto nada ter de repetir tarefas, mas neste caso confesso que fiquei entusiasmada. Era uma solução que dependia só de mim, era uma oportunidade de praticar o que tinha aprendido e também uma oportunidade de fazer algumas coisas melhor.

No dia 6 de Outubro perdi o medo de mexer na página web verdadeira, a que estava no ar. Tive a feliz ideia de fazer um backup e comecei a apagar a página para recomeçar. Nesse mesmo dia à noite nada funcionava e fui-me deitar um pouco em pânico a achar que tinha estourado com tudo. No dia 7 de Outubro, calmamente, reinstalei o backup, consegui entender o que tinha feito mal e comecei de novo.

o único sitio onde êxito vem antes que trabalho é no dicionário

Tão só uma semana depois, no dia 13 Outubro, tinha a página acabada e no ar. Consegui refazer em tão só uma semana o que me tinha consumido 3 meses. E isso, graças a ter mais prática, mais conhecimentos e sobretudo, muita motivação!!

Estou muito mas muito satisfeita com o resultado!! Acho que é como uma casa que está funcional, bonita e é a cara dos donos! Mas sobretudo estou satisfeita por ter conseguido.

É a confirmação de que podemos fazer sempre muito mais do que aquilo que achamos.

É a confirmação de que dependendo de aquilo em que acreditamos e da história que nos contamos, tanto podemos chegar à lua ou viver numa prisão.

E é também uma prova que não devemos deixar que os outros definam quem somos. Eu sempre fui catalogada (de forma negativa) de dispersa, de querer tudo, de ser impaciente. E sim, sou dispersa e isso é o que me tem brindado tantas experiências (não todas boas!!) na minha vida. E sim, quero experimentar tudo o que me parece interessante e pode acrescentar algo à minha existência. E é verdade, sou impaciente para as coisas que não me interessam o mais mínimo ou que parecia que podiam ser interessantes e afinal não o são tanto. Mas quando ponho algo na cabeça, algo que me apaixona, algo que me interessa verdadeiramente, podem ter a certeza que não desisto até as conseguir. Prova disso, esta página que está feita com muita dedicação, empenho e carinho.

Convido-vos a entrar na nova casa virtual da Quinta Sinfonia e a passear por todas as estâncias. Espero que gostem e sobretudo, SEJAM BEM-VINDOS!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *