Avançar para o conteúdo

Quinta Sinfonia

Como viver de uma forma mais simples

Quando pensamos em viver de uma forma mais simples, viver em modo Slow Living, talvez pensamos nessas fotos dignas de Pinterest: campos a perder de vista, alguém em frente a uma lareira com meias de lã a beber um chá exótico e a ler um livro ou fazer pão com massa mãe todas as semanas, etc, etc.

Sim, é certo que uma vida mais simples pode ser tudo isso, mas não só.

Mesmo que nunca tenhas tido o desejo de viver no campo, podes viver de uma forma mais simples.

Ou se o teu sonho sempre foi viver numa quinta no meio da natureza, também podes viver de uma forma mais simples.

Talvez não tenhas muito jeito ou interesse em fazer pão com massa mãe. Mesmo assim podes viver de uma forma mais simples.

Na verdade, qualquer pessoa pode viver de uma forma mais simples independentemente do sítio onde viva ou de quem seja.

Como é viver de uma forma mais simples?

Viver de uma forma mais simples é ser consciente daquilo que trazemos para casa. Sobre aquilo que consumimos. Sobre aquilo que compramos. Onde compramos. Viver de uma forma mais simples é deixar de fazer como fazem todos e começar a traçar o nosso próprio caminho. Um caminho mais simples, mais tranquilo e mais intencional.

Viver de uma forma mais simples não tem que se parecer a nada em concreto. Nem sequer com as bonitas fotos que vemos no Pinterest ou no Instagram. O mais provável é que não se pareça em nada!

Viver de uma forma mais simples é viver de uma forma mais intencional. É estar consciente das escolhas que fazemos. É estar ao mando da nossa vida.

Ser mais intencional nas coisas que escolhemos para casa

É suposto a nossa casa ser um sítio para descansar, um sítio para nos sentirmos seguros. Mas muitas vezes temos a casa cheia de coisas e não sobra espaço para viver. Muitas vezes acabamos por não ter espaço para uma simplicidade mental porque não há simplicidade no espaço físico onde habitamos. Viver de uma forma mais simples é diminuir este consumismo desmesurado e o querer sempre mais. Viver de uma forma mais simples é descobrir que não somos aquilo que temos. Viver de uma forma mais simples não significa deixar de consumir mas sim trazer para casa coisas que sirvam um propósito.

Ser mais intencional na pegada que deixamos no planeta

A nossa existência por si só não é sustentável. Geramos uma quantidade grande de lixo, embalagens, detritos e muitas vezes pensamos que ao deitar uma coisa para o lixo, essa coisa desaparece. Para produzir as coisas que consumimos houve um gasto de energia e recursos e em alguns casos com recurso a mão de obra mal paga e que trabalha em más condições. São coisas em que normalmente não pensamos ou que simplesmente são ocultadas do consumidor. E como os produtos são mais baratos, consumimos mais quantidade mas menos qualidade. Esta forma de produção e consumo contribui para o aumento da poluição.

Viver de uma forma mais simples é voltar as costas a esta forma de consumismo que favorece o desperdício. Viver de uma forma mais simples é procurar marcas mais éticas, pequenos produtores em vez de grandes empresas com produção totalmente deslocalizada. Viver de uma forma mais simples é assegurar-nos de que por detrás de cada compra há uma intenção. Viver de uma forma mais simples é viver de uma forma mais sustentável e mais ética.

Viver de acordo com as estações do ano

Quando deixamos de viver de acordo com a estação do ano, por exemplo consumindo frutas ou verduras que não são de temporada ou não vivendo o que cada estação tem para nos oferecer, o nosso corpo e espírito deixam de estar alinhados. Viver de uma forma mais simples é viver cada uma das estações do ano na sua plenitude. Viver de uma forma mais simples é comer frutas e verduras de temporada. Viver de uma forma mais simples é estar presente em cada estação e ligar-nos à natureza. Viver de uma forma mais simples é abrandar para poder apreciar a beleza de cada uma das estações. Viver de uma forma mais simples é viver uma vida mais de acordo com as estações.

 

Para mim viver de uma forma mais simples não é o destino final, mas sim o caminho. Um caminho que pode durar toda a vida através de pequenos gestos e aprendizagens. Nem sempre é fácil porque muitas vezes estamos a remar contra a corrente e contra tudo o que vivemos no passado e o que nos ensinaram. Mas é um caminho que trás uma grande satisfação.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *